Seguidores

OS DESAFIOS DA EVANGELIZAÇÃO EM NOSSOS DIAS.

Não é novidade que anunciar as boas novas é algo singelo e especial para todo verdadeiro cristão. Através do “ide” glorioso do Senhor Jesus, recebemos a responsabilidade de pregar o evangelho a toda criatura, em todos os lugares, a tempo e fora de tempo (Mc 13.10; 16.15; 1 Cor 9.16; 2 Ti 4.2 cf. Mt 24.14). A questão é que nem todos os que professam fé cristã estão dispostos a assumir tal responsabilidade, talvez por negligência, timidez ou por omissão, o fato é que a maioria não se deu conta desse privilégio e perdem grandes oportunidades de falar de Jesus às pessoas ao redor.
Nos últimos dias, temos refletido e discutido sobre os mais variados métodos de evangelismo que nos permitam comunicar de forma eficaz a verdade ao pecador, de sorte que o mesmo compreenda o plano de Deus para a humanidade. É claro que a nossa missão é “apenas” pregar a Palavra, pois é o Espírito Santo quem convence o homem do pecado (Jo 16.8,9). Todavia, precisamos analisar alguns aspectos importantes na preparação e envio dos “evangelistas”, isto é, daqueles que semeiam as boas novas, já que o avanço da tecnologia, da informação e da rede social nos trouxeram grande conflito. O tal conflito, ao qual nos referimos, é a “administração” das vantagens e desvantagens no uso dessas ferramentas, da aproximação entre o êxito e o caos, entre a ingenuidade e a ignorância, entre a crença e a dureza de coração. Há semelhanças entre a perseguição e a liberdade religiosa, pois ambas refletem a cegueira e a ignorância bíblica e espiritual das pessoas, misturando as concupiscências com a incredulidade e a própria religiosidade com a desobediência à Palavra de Deus (Mt 22.29; Mc 12.14).
O verdadeiro evangelho é tão simples quanto poderoso, pois impacta a vida daqueles encontram a verdade absoluta em Cristo (Jo 14.6; At 4.12). O aumento exacerbado das heresias, doutrinas estranhas e falsas manifestações no seio das mais variadas denominações e seitas, trouxe grande prejuízo espiritual e doutrinário no contexto cristão religioso, já que a grande maioria das interpretações e ensinos vão de encontro ao evangelho simples ensinado por Jesus, pois estão cheios de malícias, conveniências e idolatria. Baseados em teologias baratas, onde o servo é patrão e o Senhor é submisso às “declarações da fé”, a maioria dessas igrejas se embaraçam no próprio engano e na religiosidade falaz, propagando ilusões e não o evangelho (1 Tm 4.1,2; 6.3-5,20; 2 Ti 3.1-5; 2 Pe 2.1-3 cf. 2 Cor 11.13-15).
A sutileza de novos supostos evangelhos foi predita e descrita pelo apóstolo Paulo na carta aos gálatas e serve de antídoto contra essa prática muito comum nos dias atuais (Gl 1.6-10). Não podemos conceber um evangelho midiático e moderno, onde a essência do evangelho de Cristo é negada a todo o tempo, através de ações e ensinos que trazem constantes escândalos, confusões e incredulidade aos corações (2 Tm 3.5). Não podemos confundir métodos eficazes de evangelização com o pragmatismo evidenciado em muitas igrejas, pois nem tudo o que “dá certo” tem a ver com o evangelho. Há muitos que estão usando os textos sagrados como pretextos para “cair na folia” e desfrutar de tudo o que o mundo oferece sob proteção e “aprovação” divina (2 Ti 4.3,4).
A igreja de Cristo é santa e não comunga com as coisas desse “mundo” (2 Cor 6.14-18; Tg 4.4). Precisamos aprender com as dificuldades e seguir pregando o evangelho de Cristo com alegria, temor e amor, a fim de conduzir os homens aos pés de Cristo, ao conhecimento da graça de Deus. Voltemos ao evangelho simples! Voltemos à Palavra!


Por Elder Dayvid Morais
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...